CORREÇÃO DE FASE RESIDUAL PARA DADOS CMP EMPILHADOS

Mauro R. Morand

Abstract


De maneira a obter em seções sísmicas uma forma de onda residual o mais próximo de um pulso de fase zero, tem-se sugerido a aplicação de algoritmos de correção automática de fase residual, assumindo-se um modelo de deslocamento de fase constante e independente da freqüência, aliado ao emprego da norma varimax. É apresentada uma discussão da performance do método, e uma tentativa de ampliá-lo, sugerindo novas formas de determinação do melhor ângulo de correção, como, em especial, o emprego da análise segundo janelas móveis, servindo-se de uma norma cuja representação matemática assemelha-se a da norma varimax. Experimentos com dados sinteticamente produzidos e dados reais foram realizados, indicando as possibilidades dos diversos tipos de abordagens estudadas, sugerindo que a aplicação no âmbito da indústria deva ser considerada em um procedimento semi-automático.

ABSTRACT

Correction of residual phase for CMP stacked data-In order to achieve a residual wavelet closer to a zero phase character, it is being proposed the application of algorithms of automatic residual phase correction to CMP stacked data assuming a frequency-independent constant model in conjunction with the use of the varimax norm. It is presented a discussion of the performance of the method, as well as attempts to enlarge it, suggesting new procedures for determining the best correction angle, especially an analysis using the concept of moving windows and a norm whose mathematical representation is similar to the varimax norm. Applications to synthetically produced data and to real data are shown indicating the possibilities of the different approaches, suggesting that the application in the industry should be carried out in a semi-automatic way.


Keywords


correção de fase residual; dados CMP empilhados