ESTUDO DE GEOTERMIA RASA NA CIDADE DE HUMAITÃ-AM

Elizabeth Tavares Pimentel, Rutenio Luiz Castro de Araujo, Ierecê Barbosa Monteiro, Roberto Matias da Silva

Abstract


No período de outubro de 2007 a setembro de 2008 foi realizado monitoramento geotermal, às profundidades de 0,02 m, 0,5 m e 1,0 m, em locais com e sem cobertura vegetal, na cidade de Humaitá (AM), a fim de quantificar as variações de temperatura, condutividade térmica e fluxo geotermal raso local. Quantificou-se a influência da cobertura vegetal sobre o regime geotermal raso na região estudada. Houve variação dos valores médios mensais da temperatura nos locais cc e sc. No período "seco", esta variação foi de até 6,01°C à profundidade de 0,02 m, e de 2,84°C à profundidade de 1,0 m; já no período "chuvoso", a variação foi de até 2,94°C a 0,02 m de profundidade e de 2,51°C à profundidade de 1,0 m. Na profundidade de 0,02 m, a diferença entre os valores diários máximos, nos locais cc e sc, foi de 3,97°C no período "chuvoso" e de 9,63°C no período "seco". Às 18 h, as magnitudes da temperatura permaneceram elevadas em relação aos outros horários estudados. Os valores de condutividade térmica foram de 0,54 W/m°C no período "seco" e de 1,23 W/m°C no período "chuvoso". Os valores do fluxo geotermal raso, às profundidades de 0,5 m e 1,0 m, variaram até 2,51 W/m2e 0,64 W/m2, respectivamente. Tais valores são da ordem de 103acima do valor do fluxo térmico terrestre profundo na região. As variações termais a 0,5 m e a 1,0 m de profundidade são influenciadas por fontes externas que atingem a superfície e não podem ser negligenciadas. As variações térmicas registradas neste trabalho são importantes e fundamentais para o melhor conhecimento da estrutura geotermal rasa na cidade de Humaitá (AM), como também, contribuem para a elaboração de modelos que possibilitem mitigar ou eliminar os efeitos causados por ações antrópicas.

Keywords :geotermia rasa; temperatura; cobertura vegetal; condutividade térmica; fluxo geotermal raso.

ABSTRACT

From October 2007 to September 2008 a geothermal monitoring experiment was conducted at depths of 0.02 m, 0.5 m and 1.0 m to quantify the variations of temperature, thermal conductivity and the shallow geothermal heat flow at places with and without vegetation cover in the Humaitá city, Amazonas. The influence of the vegetation cover on the shallow geothermal system was observed in the sites studied. There were variations of monthly average values of temperature between the places with and without vegetation cover. During the "dry" period, this variation was up to 6.01°C at the depth of 0.02 m, and 2.84°C at the depth of 1.0 m. During the "rainy" period, however, the variation was up to 2.94°C, at the depth of 0.02 m, and 2.51°C at the depth of 1.0 m. The difference of the daily extreme values of temperature between sites with and without vegetation cover were 3.97°C during the "rainy" period and 9.63°C during the "dry" period, at the depth of 0.02 m. It was noticed that at 06:00 PM the magnitude of the temperature remained high compared to other times on the day studied. The values of the thermal conductivity were 0.54 W/m°C during the "dry" period, and 1.23 W/m°C during the "rainy" period. The values of the shallow geothermal flows at depths of 0.5 m and 1.0 m, were 2.51 W/m2and 0.64 W/m2, respectively. These values are 103larger than the terrestrial heat flow in the region. The thermal variations at0.5 m to 1.0 m depth are influenced by external sources that reach the surface and cannot be neglected. The thermal variations recorded in this work are important and fundamental to better understanding the shallow geothermal structure in the southern, part of Amazonas state, and they also contribute as input to models that allow the mitigation or elimination of the effects caused by anthropogenic actions.

Keywords :shallow geothermic; temperature; vegetation cover effect; thermal conductivity; shallow geothermal flow.


Keywords


geotermia rasa; temperatura; cobertura vegetal; condutividade térmica; fluxo geotermal raso