facebook
instagram
linkedIn
youtube

Prêmios SBGf

A SBGf tradicionalmente reconhece a colaboração de ilustres profissionais e estudantes da geofísica por suas contribuições ao desenvolvimento desta área do conhecimento no Brasil.

A SBGf institui homenagens e premiações para o reconhecimento de profissionais e instituições que se destacaram nas atividades relacionadas com a Geofísica no Brasil, e/ou contribuíram para o engrandecimento da Entidade, apoiando ou se dedicando às suas iniciativas. A escolha dos homenageados é realizada pelo Comitê de Premiação e Homenagens, indicados pela diretoria da SBGf. As premiações aos profissionais da geofísica são realizadas durante os congressos da SBGf, a cada dois anos. Entre 1999 e 2003 haviam 4 prêmios oferecidos:

A partir de 2005, decidiu-se pela nomeação dos prêmios em homenagem à geofísicos brasileiros:

Em 2021 foi criado um novo prêmio:

  • Carlos Alberto Dias, oferecido a Geofísicos que promoveram a excelência técnico-científica e o desenvolvimento da Geofísica Aplicada.

Outra homenagem especial é entregue na Confraternização Anual dos associados da SBGf, realizada no mês de dezembro na cidade do Rio de Janeiro. Nesta oportunidade são entregues homenagens em reconhecimento a profissionais e/ou instituições que contribuíram com inovações tecnológicas ou iniciativas para o fortalecimento da Geofísica no país. A homenagem se destina a pessoas, instituições ou empresas que tenham contribuído ou colaborado com a SBGf de maneira esporádica, contribuído para o avanço e desenvolvimento da Geofísica de maneira pontual, contribuído com artigos para a revista da SBGf de maneira significativa, colaborado como revisor exemplar dos artigos da revista da SBGf sempre que solicitado e contribuído ou colaborado na elaboração do boletim da SBGf sempre que solicitado.

Homenagens na Confraternização Anual

A SBGf oferece prêmios a estudantes de pós-graduação e graduação, através dos prêmios SBGf de melhor Tese, melhor Dissertação e melhor Trabalho de Conclusão de Curso/Iniciação Científica em Geofísica com o objetivo de incentivar a formação de recursos humanos qualificados na área de Geofísica. A cerimônia de entrega dos prêmios de melhor Tese e melhor Dissertação acontece durante a realização dos congressos da SBGf, e a cerimônia de entrega do prêmio de melhor Trabalho de Conclusão de Curso/Iniciação Científica acontece durante a realização dos simpósios da SBGf.

Para saber como se candidatar ao prêmio SBGf de TCC/IC de 2022, clique aqui

Prêmios e Premiados

  • 1999 - André Romanelli Rosa
  • 2001 - Muhamad Amin Baccar
  • 2003 - José Coutinho Barbosa

  • 1999 - Peter Hubral
  • 2001 - Camilo Machnizh e Tadeusz J. Ulrych
  • 2003 - Paul L. Stoffa (Education)

  • 1999 - Carlos Alberto Dias
  • 2001 - Icaro Vitorello
  • 2003 - Marcelo Sousa de Assumpção

  • 1999 - João Batista Corrêa da Silva
  • 2001 - Kiyoshi Kadekaru
  • 2003 - Célio Freitas Barreira

Concedido ao geofísico que tenha se destacado em trabalhos voluntários para a entidade e, assim, contribuído para o engrandecimento da SBGf

Alcides Paulo Alves Barbosa formou-se em geologia pelo Instituto de Geociências da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em 1972. Cursou pós-graduação em geofísica na Universidade do Texas, nos Estados Unidos. Trabalhou na Petrobras de 1973 até o ano de seu falecimento, onde desempenhou o cargo de geofísico na Gerência de Exploração e Produção. Foi grande colaborador e incentivador da aviação virtual. Foi também conselheiro e membro ativo da SBGf, em cuja secretaria prestou trabalhos voluntários durante anos, sobretudo ajudando em questões relacionadas à informática, um dos seus grandes interesses junto às geociências. Criou para a sociedade o primeiro banco de dados informatizado. No Boletim no. 1 de 2004, a sociedade lamenta o seu falecimento e o homenageia com o texto “A saída antecipada de um amigo de todos nós”, onde também estão registradas mensagens de seus colegas da comunidade de aviação virtual. Faleceu em 2004 no Rio de Janeiro.

Premiados:
  • 2021 - Carlos Eiffel Arbex Belem
  • 2019 - Paulo Roberto Porto Siston
  • 2015 - Renato Lopes Silveira
  • 2013 - João Esteves Filho
  • 2011 - Marco Aurélio Latgé
  • 2009 - Cleverson Guizan Silva
  • 2007 - Marco Polo Pereira Buonora
  • 2005 - Vandemir (in memoriam)

Homenageia o geofísico que mais se destacou na área de petróleo

Décio Savério Oddone formou-se em engenharia pela Escola Nacional de Engenharia no Rio de Janeiro em 1931. Em 1932, participou da campanha de levantamento magnético para prospecção de ouro em Lavras do Sul (RS). Entre 1932 e 1938, foi engenheiro do Serviço Geológico e Mineralógico do Brasil e membro da primeira equipe sísmica formada no país. Em 1939, chefiou o departamento de geofísica do Conselho Nacional do Petróleo (CNP). Em 1942, respondeu pela definição do poço pioneiro de Candeias (BA), primeira descoberta comercial de petróleo no país. De 1946 a 1954, esteve à frente do Serviço Regional da Amazônia do CNP. Em 1951, integrou o grupo do CNP encarregado de estudar mudanças na estrutura da administração dos recursos petrolíferos do Brasil, trabalho que levou à criação da Petrobras. Em 1954, ingressou na empresa. De 1957 a 1960, dirigiu a Petrobras, sendo responsável pelas áreas de operações e E&P. Em 1961, redigiu com o geólogo Pedro de Moura o relatório que sugeriu a continuidade das atividades exploratórias da Petrobras no Brasil e definiu as estratégias exploratórias a serem seguidas nos anos 1960. De 1960 a 1977, foi chefe do escritório da empresa em Porto Alegre (RS). Em 1983, faleceu na capital gaúcha.

Premiados:
  • 2021 - Paulo Roberto Schroeder Johann
  • 2019 - Celso Martins de Souza
  • 2017 - Sérgio Michelucci Rodrigues
  • 2015 - José Ayrton Estrela Braga
  • 2013 - Murilo Marroquim
  • 2011 - Jorge Marques de Toledo Camargo
  • 2009 - Waldemar Albuquerque de Assis
  • 2007 - Carlos Alves da Cunha Filho
  • 2005 - José Tassini

Busca reconhecer o maior destaque na área Acadêmica da Geofísica

Nero Passos formou-se em engenharia pela Escola Nacional de Minas e Metalurgia de Ouro Preto em 1930. Naquele mesmo ano, tornou-se ajudante de geólogo do Serviço Geológico e Mineralógico do Brasil. Em 1932, participou da pesquisa geofísica em Arroio dos Patos, em colaboração com a turma de geofísica do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM). Em 1935 e 1936, participou da pesquisa de petróleo em Alagoas, chefiando a equipe de geofísica sob a orientação técnica do geofísico norte-americano Mark Cyril Malamphy, consultor contratado entre 1932 e 1936 para treinar, entre outros, os pioneiros Irnack Carvalho do Amaral, Décio Savério Oddone e o próprio Nero Passos. Em 1937, assumiu o cargo de engenheiro de minas na Divisão de Fomento da Produção Mineral, tornando-se, dois anos mais tarde, chefe da segunda seção de prospecção de minas da divisão. Em 1939, foi designado supervisor de sondagem para petróleo em Lobato (BA). Naquele mesmo ano, se integrou aos quadros do Conselho Nacional do Petróleo (CNP). Em 1945, passou a chefiar os serviços de pesquisas minerais da Divisão de Fomento da Produção Mineral no Rio Grande do Sul. Em 1947, foi nomeado professor catedrático interino da Escola de Engenharia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Em 1952, participou de pesquisa magnética para a locação de estrutura favorável à acumulação de petróleo em Arroio Grande (RS). Em 1956, foi designado para a cadeira de geologia do curso de história natural da PUC-RS, passando a professor titular em 1965. Em 1966, foi contratado pela Companhia Estadual de Energia Elétrica para fazer estudos geológicos. Até 1971, presidiu diversas vezes o Departamento de Metalurgia da UFRGS. De 1976 a 1981, exerceu o cargo de assistente da Diretoria da Companhia Brasileira do Cobre. Faleceu em 1983.

Premiados:
  • 2021 - Igor Ivory Gil Pacca
  • 2019 - Naomi Ussami
  • 2017 - Milton José Porsani
  • 2015 - Ines Staciarini Batista
  • 2013 - Reynam Pestana
  • 2011 - José Gouvêa Luiz
  • 2009 - Luiz Rijo (in memoriam)
  • 2007 - Martin Tygel
  • 2005 - Marta Mantovanni

Destaca o profissional na área de Mineração

Irnack Carvalho do Amaral formou-se em engenharia, em 1931, pela Escola de Minas de Ouro Preto. Em 1932, foi, junto com Décio Savério Oddone, um dos pioneiros na implantação da geofísica no Brasil, em campanha de levantamento magnético para prospecção de ouro em Lavras do Sul (RS). Entre 1932 e 1934, foi engenheiro do Serviço Geológico e Mineralógico do Brasil. De 1935 a 1938, foi engenheiro-chefe da equipe de prospecção geofísica da Divisão de Fomento da Produção Mineral. Em 1937, participou dos levantamentos geofísicos no Recôncavo Baiano, que culminaram na primeira descoberta de petróleo no Brasil, sugerindo a locação do poço CNP-163, em Lobato (Salvador, BA). De 1938 a 1939, foi assistente especial do presidente do Conselho Nacional do Petróleo (CNP). De 1940 a 1946, foi chefe da seção de geofísica da Divisão de Fomento da Produção Mineral, na qual exerceu o cargo de diretor entre 1951 e 1954, e 1958 e 1961. Foi duas vezes diretor da Petrobras, de 1954 a 1957 e entre 1961 e 1963. De 30 de junho de 1966 a 27 de março de 1967, exerceu o cargo de presidente da empresa. Em 1983, faleceu na cidade do Rio de Janeiro.

Premiados:
  • 2021 - Renato Cordani
  • 2019 - Cantidiano de Oliveira Freitas
  • 2017 - Roberto Gusmão de Oliveira
  • 2015 - Allan Fruchting
  • 2013 - Ives Garrido
  • 2011 - Antonino Juarez Borges
  • 2009 - Raymundo Wilson Santos Silva
  • 2007 - Augusto César Bittencourt Pires
  • 2005 - Florivaldo Sena

Homenagem às empresas que contribuíram com a SBGf

Muhamad Amin Baccar formou-se em engenharia química pela Faculdade de Engenharia do Rio Grande do Sul, em 1953. Em 1957 ingressou na Petrobras e passou a atuar na área de Geologia de Petróleo. Foi coordenador e supervisor-geral de interpretação sísmica do Departamento de Exploração, quando propôs uma nova interpretação para a Plataforma Continental. Foi cedido à Braspetro, por ocasião de sua criação. Esteve no Iraque entre 1972 e 1979, onde exerceu a chefia da área de Geofísica, a gerência-geral e ainda a coordenadoria do Projeto Majnoon. Em seu retorno a Petrobras, trabalhou como chefe de operações da Geofísica. Faleceu em 2011.

Homenagem a profissionais que, ao longo de suas carreiras, promoveram a excelência técnico-científica e o desenvolvimento da Geofísica Aplicada, com uma visão inovadora e empreendedora do papel da ciência e da tecnologia como instrumentos formadores do ser humano e promotor do desenvolvimento econômico.

Prêmio Prof. Carlos Alberto Dias formou-se em Física pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), em 1961. Obteve os títulos de mestre e doutor em Engenharia Geofísica pela Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos. Em 1968, na Universidade Federal da Bahia (UFBA), participou da criação do Centro de Pesquisa em Geofísica e Geologia (CPGG/UFBA). Em 1972, atuou na criação do Instituto de Geociências (IG/UFPA) e em 1986 implantou o Núcleo de Pesquisa em Geofísica do Petróleo na Universidade Federal do Pará (NPGP/UFPA). Após sua aposentadoria, transferiu-se para a região Norte Fluminense e passou a integrar a Comissão de Planejamento da Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF) onde implantou o Laboratório de Engenharia e Exploração de Petróleo (LENEP), o qual dirigiu por dez anos.

Premiados:
  • 2021 - José Seixas Lourenço

Homenagens na Confraternização Anual

  • 2018 - Mário Sérgio Costa
  • 2018 - Carolina Barros
  • 2016 - Empresas: - PGS e CGG
  • 2015 - Jorge Camargo
  • 2015 - André Rabelo
  • 2014 - Olivar Antônio Lima de Lima
  • 2014 - Cleverson Guizan Silva
  • 2013 - Cosme Francisco Peruzzolo
  • 2012 - Paulo Novaes
  • 2011 - Roberto Breves Vianna
  • 2011 - Mário Reinaldo Gageiro Kieling
  • 2011 - Maria Laura Vereza De Azevedo
  • 2010 - Darci José de Matos
  • 2010 - Mário José Metelo
  • 2009 - Simplício Lopes de Freitas
  • 2009 - Ana Cristina Chaves
  • 2007 - Antonio Saldanha de Souza Neves
  • 2007 - Luiz Gonzaga Lobo Leite
  • 2007 - Marcos Munis
  • 2006 - Andrade Ramos
  • 2006 - Osvaldo de Oliveira Duarte
  • 2006 - Roderick Malcolm Macdonald
  • 2006 - Wilson Nélio Brumer
  • 2006 - Anderson Vieira
  • 2006 - Edyr de Oliveira
  • 2006 - Francisco Emilson de Farias Evangelista
  • 2005 - Luis Marcelo Fontoura Mourão
  • 2005 - Rudí Luiz Lengler
  • 2000 - Carlos Eduardo de Moraes Fernandes
  • 2000 - Wanderley de Souza
  • 1999 - Giles Carriconde
Estudantes Premiados

"Análise Sismoestratigráfica de Bacias Rifte: Definição de Sismofácies e Arcabouço Tectono-Estratigráfico"
Orientador: Prof. Dr. Claiton Marlon dos Santos Scherer
Programa de Pós-Graduação em Geociências da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

"Modelagem Direta e Inversão de Campos Gravitacionais em Coordenadas Esféricas"
Orientadora: Profa. Drª. Valéria Cristina Barbosa
Programa de Pós-Graduação em Geofísica dó Observatório Nacional (ON)

“Archaeomagnetic field intensity evolution during the last two millennial"
Orientador: Prof. Dr. Ricardo Ivan Ferreira da Trindade
Programa de Pós-Graduação em Geofísica da Universidade de São Paulo (USP)

"Characterization of deepwater reservoirs in a frontier basin in the Brazilian Equatorial Margin: from seismic processing to Machine Learning approach"
Orientadores: Prof. Dr. Raimundo Mariano Gomes Castelo Branco e Prof. Dr. Francisco Nepomuceno Filho
Programa de Pós-Graduação em Geologia da Universidade Federal do Ceará (UFC)

"Otimização de desenho de Aquisição sísmica 3d Terrestre utilizando Algoritmo de base mista Para inversão e Iluminação orientada ao Alvo"
Orientador: Prof. Dr. Milton José Porsani e Dra. Manuelle Santos Góis
Programa de Pós-graduação em Geofísica da Universidade Federal da Bahia (CPGG/UFBA)

"On the well-to-seismic-tie analysis: eects of the borehole geometry and assumptions on wavelet estimation"
Orientadora: Prof. Dr. José Jadsom Sampaio de Figueiredo
Programa de Pós-Graduação em geofísica da Universidade Federal do Pará (CPGf / UFPa)

"Magnetismo de um Espeleotema do centro-Oeste do Brasil e suas Implicações Paleoclimáticas"
Orientador: Prof. Dr. Ricardo Ivan Ferreira da Trindade.
Programa de Pós-Graduação em Geofísica da Universidade de São Paulo (USP)

"Analysis of the Equatorial Counter Electrojet Longitudinal Variations"
Orientadora: Dra. Katia Jasbinschek dos Reis Pinheiro e Dr. Jürgen Matzka e Dr. Yosuke Yamazaki
Programa de Pós-Graduação em Geofísica do Observatório Nacional (ON)

“Análise da geração de drenagem ácida de Mina em pilha de rejeito sulfetada a partir de levantamento geofísico e dados hidroquímicos”
Orientadora: Prof. Dr. César Augusto Moreira
Programa de Pós-Graduação em Geociências e Meio Ambiente da Universidade Estadual Paulista (UNESP)

"Desenvolvimento e Análise de um Índice Ionosférico Baseado em Dados de Conteúdo Eletrônico Total".
Orientador: Prof. Dr. Clezio Marcos De Nardin e Prof. Dr. Paulo Alexandre Bronzato Nogueira
Programa de Pós-Graduação em Geofísica Espacial do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE

"Análises de Dispersão Angular de Polos Geomagnéticos Virtuais referentes ao Superchron Reverso do Permo-carbonífero"
Orientadora: Prof. Dr. Daniel Ribeiro Franco
Programa de Pós-Graduação em Geofísica dó Observatório Nacional (ON)

"Análise do Potencial de Aquisição de Dados Magnetométricos por Veículo Aéreo Não Tripulado"
Orientador: Prof. Dr. Wladimir Shukowsky
Curso de Graduação em Geofísica da Universidade de São Paulo (IAG/USP)

"Análises de Dispersão Angular de Polos Geomagnéticos Virtuais referentes ao Superchron Reverso do Permo-carbonífero"
Orientadora: Prof. Dr. Daniel Ribeiro Franco
Programa de Pós-Graduação em Geofísica dó Observatório Nacional (ON)

"Monitoramento de barragens utilizando sísmica passiva – um estudo a partir de modelos sintéticos”
Orientadora: Profa. Drª. Susanne Tainá Ramalho Maciel
Curso de Graduação em Geofísica da Universidade de Brasília (UnB)

Associados corporativos

Petrobras